Pesquisar este blog

domingo, 7 de maio de 2017

Na alegria e na tristeza.

Resultado de imagem para imagem para juntos na alegria e na tristezaQuem costuma frequentar cerimônias de casamento deve saber que geralmente os noivos fazem aquele juramento de estar firme um ao lado do outro em qualquer circunstância, ou seja, na alegria e na tristeza.e mais o que vier pela frente. Belo juramento. Mesmo sabendo de antemão que dificilmente será mantido e que no primeiro problema que aparecer será esquecido, os convidados do casamento tendem a ficarem tocados com a jura feita pelo casal apaixonado. Há quem chegue a chorar de emoção.
Só que na vida, como nas novelas, tem sempre um capítulo seguinte e aí... Bem, essa postagem não é para falar de juras de amor e muito menos de casamento. Quero falar de relacionamento, mas em outro nível: o do convívio social, da amizade. 
Não consta em lugar nenhum que as pessoas ao tornarem-se amigas façam algum de tipo de juramento, embora, claro, isso possa acontecer. Mas o normal é que as amizades aconteçam de forma natural e sem nenhum protocolo, de forma livre e genuína. 
No entanto, tem gente que acha que o juramento feito na cerimônia de casamento vale também para as amizades e acredita que seus amigos têm que acompanhá-las em todos os instantes de sua vida. Se elas estão felizes, querem que todos a sua volta estejam igualmente vibrando com com sua felicidade. O mesmo acontece quando elas estão tristes, depressivas, ansiosas, apreensivas etc. 
Seria muito bom se fosse possível ter esse nível de sintonia. Porém, é quase impossível. Sabemos que nem no casamento, apesar da jura feita diante do padre ou pastor, a coisa costuma funcionar. Duas pessoas, mesmo ligadas pelo sentimento, tendem a ter reações diferentes diante de fatos semelhantes. O que é perfeitamente natural e aceitável. 
Não se pode exigir que alguém esteja sempre feliz com a nossa felicidade e triste com a nossa tristeza. Principalmente em se tratando de amigos. Muitas vezes, nossos amigos estão transbordando de felicidade, enquanto nós não estamos vivendo um bom momento. O contrário também acontece frequentemente. 
Por isso, não podemos reclamar quando a nossa alegria não contagia o outro e quando a nossa tristeza não é capaz de sensibilizá-lo. Temos que aprender a respeitar esses momentos sem exigir nada do outro. Afinal, não estamos dispostos a abandonar a nossa alegria para vestir a tristeza de alguém, mesmo nos sensibilizando com a dor que o outro está vivendo, ou estamos? Cada momento que vivemos, alegre ou triste, é único e só nosso.

Bom domingo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário