Pesquisar este blog

sábado, 13 de setembro de 2014

Faça, mas também deixe que façam.

    Principalmente quando o assunto é trabalho comunitário, é comum encontramos por aí pessoas que absorvem tudo para elas, que querem fazer tudo e que não deixam espaço para outros mostrarem que também querem e podem ajudar.. Para essas pessoas as coisas somente vão  funcionar se forem feitas por elas próprias, pois não confiam em ninguém que não seja elas mesmas.
    Para quem gosta de encontrar tudo pronto, essas pessoas são, como dizem por aí, uma mão na roda. Elas fazem barba, cabelo e bigode e você não é bobo de reclamar, não é? Pois devia. Esse tipo de pessoa, muitas vezes, quer apenas provar o quanto são eficientes e coisa e tal e são, quase sempre, mal intencionadas.
    Digo isso por que acho que não pode haver boa intenção em alguém botar o resto do mundo para descansar, ou simplesmente na condição de espectador, e fazer tudo sozinho. Nem Deus age assim, não é? Apesar de acreditamos em Sua ajuda, temos que fazer a nossa parte. Por que seria diferente quando se trata de pessoas como nós?
    Isso quando a intenção não é claramente boicotar aqueles que querem e podem ajudar. Assim, essas pessoas posam de necessárias e, muitas vezes, a únicas  capazes não deixando que ninguém além delas possam realizar algo em prol daquilo que se quer construir.
    Não estou com isso dizendo que ninguém deve aceitar ajuda dos outros ou mesmo  que algum faz-tudo da vida seja privado (a) de mostrar a sua capacidade. Longe disso. Toda ajuda é sempre muito bem-vinda. Só não permita que alguém em nome disso ocupe o lugar que só você pode ocupar ou te relegue ao ócio.
Nem podemos, em nome de nossas capacidades, impedir que outros mostrem que também têm valor. As coisas ficam  bem melhores quando feitas com a participação de todos, quando cada dá um pouco que tem ou sabe para construir algo maior e do qual todos possam se orgulhar.

Bom domingo.