Pesquisar este blog

terça-feira, 10 de abril de 2012

A necessidade de ser diferente.

     Apesar de se apregoar aos quatro ventos que somos todos iguais, tem muita gente que parece não gostar muito disso e vire e mexe está procurando alguma maneira de ser diferente. É o tal " invente, faça diferente". O que, visto por esse viés, não tem nada demais. Afinal, essa é a única forma que as pessoas têm para se destacarem, mostrarem a sua criatividade, sua capacidade de inovação. Do contrário, seremos todos cópias uns dos outros.
     Nesse mundo competitivo em que vivemos é quase imperativo que sejamos capazes de fazer algo que ainda não foi feito. Ter ideias novas significa ser inventivo, inovador, talentoso e outros adjetivos mais. Há quem fique milionário de um dia para o outro somente porque teve uma boa ideia e soube colocá-la em prática. Exemplos é que não faltam. E ninguém é louco de dizer que não seria capaz de qualquer coisa para ter uma dessas ideias que revolucionam o mundo e, de quebra, a sua própria vida, Não é à toa que se diz que ideias valem ouro.
     Só que trazendo isso para o lado pessoal, o que se nota é que as pessoas estão cada vez mais tendo necessidade de ser diferente. Não aquela diferença que revoluciona, mas uma diferença um tanto sem sentido. Tipo ser diferente apenas por ser diferente, sem que isso acrescente nada a ninguém, nem à pessoa que está sendo diferente.
    Tudo soa apenas como se fosse uma espécie de aberração  alienação ou mesmo despudor. Nada contra. Acredito que essa seja uma necessidade interna que a pessoa tem. É uma forma de se destacar, de aparecer, de sair de um anonimato que incomoda de alguma forma. Não é fácil ser apenas mais um na multidão, não é? Muitos têm uma certa urgência em mostrar a cara, sair do pré-estabelecido, gritar para o mundo todo ouvir que ele existe, que está aqui nesse presente momento e quer ser notado.
    Mas, cá pra nós, uma coisa é ter estilo, ser uma pessoa arrojada e capaz de realmente ser diferente, inventivo. Outra, bem outra, é fantasiar-se de diferente apenas para chamar a atenção dos outros. Com isso, ao contrário de se destacar, a pessoa acaba sendo motivo de chacota dos outros, fazendo rídiculo.
    Nesse caso, creio que o melhor a fazer é descobrir o que realmente está incomodando. Até porque sempre há alguma coisa incomodando, nada é perfeito o tempo todo, temos nossas frustrações e tem dias que a gente acorda  mesmo com vontade de mudar o mundo. 
    Porém, mudar o mundo não significa ter atitudes agressivas, pichar a cidade, quebrar orelhões, queimar lixeiras e jogar o lixo no chão, atravessar o sinal fechado correndo o risco de ser atropelado, ignorar o outro que está do lado, desrespeitar todo mundo e todas essas atitudes que temos em nome de "ser diferente".
    Lembremos sempre que para se destacar realmente, precisamos, antes de qualquer coisa, fazer algo de especial. Nem precisa ser algo tão diferente ou novo assim. Basta apenas que façamos com todo o nosso amor, nossa dedicação. Esse será sempre o diferencial que nos colocará em destaque.