Pesquisar este blog

sábado, 31 de julho de 2010

A cura do corpo.

     Vivemos numa época em que cada vez mais se fala de meios alternativos de buscar uma vida melhor e mais saudável. Muitos são os meios e todos estão disponíveis para todos, basta querer buscar, ler e se informar. Além de toda uma cultura passada de pai para filho, de geração em geração. Quem não tem ou teve um avô, avó ou qualquer parente versado em chás ou garrafadas? Muitos de nós, não é mesmo? Fora isso, existem muitos livros e revistas que tratam do tema, prontos a informar a quem queira penetrar nesse mundo mágico.
     Outro vasto campo de pesquisa é nossa amiga Internet. Os sites de busca e pesquisa estão aí para isso. Difícil é decidir para que lado seguir pesquisando. Deixando de lado mentiras e puras invenções (é sempre necessário estar atento), há um campo vasto e pode-se encontrar verdadeiros tesouros. Em sua maioria trata-se de coisas simples e corriqueiras que nós deixamos para lá porque acreditamos serem apenas lendas ou coisa de gente ignorante. Estamos sempre prontos a colocar em dúvida qualquer coisa que não seja cientificamente provada mesmo sabendo de experiência própria da eficácia de um chá ou de uma simpatia ensinada por uma pessoa mais velha.
     Pelo outro lado, estamos sempre prontos a ingerir qualquer medicamento receitado por qualquer médico, farmacêutico ou balconista de farmácia. Não importamos se eles são ou não pessoas habitadas para isso ou se estão mesmo interessados que nos curemos do mal que sofremos ou apenas querem vender mais um medicamento e aumentar o lucro da indústria farmacêutica.
      Embora essa seja uma questão bastante complexa e que necessita de ser vista com bastante cuidado, não temos aqui a intenção ou capacidade de fazer um julgamento. Quero apenas trazer a baila um lado da questão: outro dia fiquei um tanto assustado de ver uma conhecida ingerindo calmantes dizendo que não consegue viver sem eles por causa da vida agitada que leva. Diante disso, fui levado a pensar no número de pessoas que usam remédios para enfrentar o dia-a-dia, passando suas vidas praticamente dopados. Isso é um absurdo! Não podemos tomar esse caminho. Não sou médico nem nada parecido, mas tenho certeza que esse é um caminho sem volta. A humanidade está cada vez mais se escondendo de si mesma através de remédios que prometem curar o corpo quando na verdade nada mais fazem do que criar mais doenças e a pior delas é a dependência.
     Trabalho num local onde as pessoas passam o dia disputando quem está mais doente que o outro, quem tem a doença mais grave, quem toma maior número de medicamentos ou quem vai mais vezes ao médico. Nenhuma delas não quer nem ouvir falar em formas alternativas de cura ou fazer algum esforço que não seja o de ingerir medicamentos, mesmo sabendo que eles fazem mais mal que bem. Ignorando que remédio não faz milagre, que antes de querermos curar o corpo precisamos buscar a cura de nosso espírito. E a porta da cura de nosso espírito é a nossa mente. Precisamos curar nossas mentes para que elas não adoeçam nossos corpos. Está aí o "mente sã, corpo são" que não me deixa mentir e que ninguém ignora, mas faz questão de esquecer.
     Vamos todos, num esforço conjunto, buscar a cura do nosso corpo através de atos simples como o de respirar corretamente buscando tranquilizar nosso corpo integrando-o à natureza, ao mundo que nos rodeia, buscando toda a beleza que nos rodeia, a beleza que vem dos outros e aquela que parte de nós. Fiquemos todos tranquilos e em paz. Quem sabe assim não descobrimos que saúde também é um estado de espírito?