Pesquisar este blog

quinta-feira, 5 de abril de 2012

A canção da Rita Lee.

     Em sua mais recente canção que está sendo tocada no rádio, a sempre irreverente Rita Lee faz um apelo a Deus para protejê-la de uma gama enorme de males provindos daqueles que a cercam: "Deus me proteja da sua inveja, da sua macumba" e vai por aí.
     Tudo pode parecer apenas mais um motivo da cantora para nos brindar com mais uma de suas inúmeras canções cheias de bom humor, como ela sempre faz. E, diga-se de passagem, faz muito bem. Mas não é apenas isso. Pelo menos, na minha opinião. A musica, sem querer querendo, acaba por tocar num ponto, digamos, sensível dos relacionamentos em geral. 
    Para falar a verdade, sempre gostei do trabalho dela, justamente pela capacidade que ela tem de abordar as coisas de uma maneira pessoal, mas tão próxima de todo mundo. Os anos passaram e ela continua a mesma moleca de sempre.
     Só que não tenho a pretensão de fazer uma crítica, ainda que elogiosa, ao trabalho dessa senhora roqueira. O que me chamou a atenção é o quanto essa canção é oportuna, o quanto a gente sente  vontade de realmente pedir a Deus que nos livre de tantos males que vêm em nossa direção. Querendo ou não, é preciso admitir que o bombardeio é grande, não é? E aí, só mesmo pedindo ajuda a Deus. Não tem outro jeito.
     Viver já não é fácil, e viver  constantemente torpedeado por esses sentimentos chega a ser uma tarefa para Hércules. Por isso, a música vem a calhar. É claro que esses sentimentos, muitas vezes, não são expressos de  maneira explicita. Quase sempre aparecem de maneira disfarçada, até mesmo como elogios em conversar aparentemente inocentes, mas no fundo o que estão querendo é detonar com você.
    Pode parecer estranho estar sempre tocando nessa mesma tecla, mas ninguém pode duvidar que o mundo seria bem melhor se não houvesse tanto ódio, inveja, mágoa, rancor, cobiça, desavenças. Portanto, a única saída é apelar para o criador. Que Ele afaste de nós todos os males e nos proteja sempre, dormindo ou acordados, em casa ou na rua, em qualquer circunstância, todos os dias de nossas vidas.
   Para quem preferir, a música da Rita Lee já é um bom começo. Como dizem por aí: "quem canta, seus males espanta."