Pesquisar este blog

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Tempos Modernos - a novela

            Eu sei que todos ficam pensando o que leva uma pessoa a escrever sobre novelas de televisão, programa que muitos afirmam não assisitir (não é o meu caso), com tantos assuntos, digamos, mais na ordem do dia. Mas, calma, eu explico. Não desejo falar exatamente da novela das sete da Tv Globo, Tempos Modernos. Embora a novela seja um assunto palpitantem, a começar pelo título.
          Acredito que, como eu, muitos pensaram que viria pela frente uma novela daquelas que iriam revolucionar a, atualmente morna, dramaturgia nacional. Que nada! Trata-se de uma trama confusa, requentada ( aquela trama dos apaixonados que se julgam irmãos, é o fim) e que a modernidade do título é promessa falsa. Não posso deixar de falar daquele robô com voz filme dublado, antigo.
          A trama lembra, não sei se propositalmente, a peça Rei Lear do Shakespeare. A velha história do Rei Lear, seu reino e  suas três filhas. Essa peça do Shakespeare já foi "adaptada" em, pelo menos, duas novelas: uma na antiga Tv Tupi,  que se chamava "Roda de Fogo" e outra na Tv Globo, batizada de "Suave Veneno'', do Aguinaldo Silva. Nenhuma das duas foi sucesso. Pelo contrário. A da Tv Tupi, criada, inicialmente, pelo Sérgio Jockman, só serviu para levar a emissora ainda mais para o buraco. A da Globo, uma tentativa do Aguinaldo Silva de deixar para traz o tema "nordeste povoado de seres estranhos", também ficou a desejar. Ou seja, essa peça, no que diz respeito à adaptação, é uma verdadeira "caveira de burro". Porém, parece que o nosso amigo Bosco Brasil não sabia disso. Egresso do teatro, ele deve ter achado o máximo a referência a Shakespeare. Deu no que deu.
          Agora, o que me  leva mesmo a escrever é o número de vezes que a Rede Globo tem errado em suas novelas. Nos últimos tempos é raro a novela que dá certo. Das que estão no ar, nenhuma chega a ser sucesso. Malhação se arrasta há anos, Escrito nas estrelas, ainda não aconteceu, Tempos |Modernos vem sofrendo modificações para ver se pega no tranco e Viver a vida, simplesmente não conseguiu contar uma história que, no mínimo, envolvesse o público.
         Isso tudo me leva a uma pergunta: será que na Globo não existe um departamento que analisa as histórias das novelas que vão ser produzidas ou a emissora perdeu o tão aclamado "konow-how"? Fico sem saber. Porque não dá para acreditar que as histórias não sejam submetidas à algum tipo de apreciação. Pelo que sei, os autores fazem sinopses onde detalham suas histórias e através desse detalhamento pode-se saber se uma história é boa ou não.
         Não é de mais dizer que alguém está dorminndo no ponto ou as histórias apresentadas são tão ruins   que o que sobra é o que vemos no ar: histórias sem conflitos verdadeiramente consistentes onde a busca dos personagens não se justifica através de suas falas e ações. Tudo é apenas pretexto para se fazer merchadizing.