Pesquisar este blog

sábado, 28 de novembro de 2009

Sobre o Centro Cruz de Oxalá

Algumas pessoas postaram ou me perguntam sobre o Centro Cruz de Oxalá, aonde eu trabalho como médium. Esse não é um assunto que gosto muito de falar, por várias razões: as pessoas, muitas vezes, não estão preparadas para entender os mistérios que nos envolvem neste mundo e por isso tratam com preconceito àqueles que desenvolvem esse tipo de trabalho e pelo fato de eu manter, apesar de espírita convicto, minha ligação com a igreja católica (assunto que pretendo falar no futuro). Mas vamos lá. Há muito eu já queria falar um pouco mais sobre o Centro. Em primeiro lugar gostaria de dizer que é uma casa espírita extremamente simples e desenvolve um trabalho na linha umbandista: a chamada umbanda branca. A casa foi fundada por volta do ano de 1952, pelo casal senhor Carlos e dona Marieta, tendo funcionado em vários endereços, quase sempre pelo bairro do Catete e Flamengo (em ruas como Silveira Martins, Buarque de Macedo e Dois de Dezembro, entre outras), esteve fora deste perímetro apenas uma vez quando esteve por curto período de tempo na rua da Passagem, em Botafogo. O casal manteve a casa por vários anos, até vir a falecer na década de 1980. O Centro passou a ser administrado por Edmar Castelo Branco, Clemente Abtibol e Sebastião Lima e assim permanece até hoje.
Sobre o episódio da invasão ao Centro.
Sobre esse assunto gostaria de dizer que, embora seja um fato que sempre vamos lamentar profundamente como um ato de intolerância, desrespeito e brutalidade incomparáveis, o Centro continuou seus trabalhos e segue em frente.
Sobre o seu funcionamento.
A casa funciona de segunda a sexta feira, sempre no período da noite. Sendo às segundas dia do trabalho de Cablocos ( gira de cablocos e cablocas), terça dia do trabalho de terreiro, quartas reservada para aulas de desenvolvimento e reuniões, quinta -feira dia de Pretos Velhos ( Pretas Velhas, Vovós e Vovôs), sexta-feira é dia do trabalho de cruz e do trabalho de mesa kardecista. Apenas os trabalhos de segundas e quinta-feiras são abertos ao público com distribuição de senhas a partir de sete horas da noite. Os trabalhos começam sempre às 08:00 da noite. O Centro não cobra pelos atendimentos e é mantido pelos seus sócios e por doações espontâneas
Atualmente o Centro funciona na rua Bento Lisboa, 146, no Flamengo. O telefone para contato é 021 2556 6450.

Mais alguma dúvida ou informação basta postar que será um prazer responder. Obrigado pela atenção.