Pesquisar este blog

sábado, 21 de agosto de 2010

Cachorro leva dono para passear.

    Sei que onze em cada dez pessoas adoram animais, principalmente cachorros. E essa estatística não é difícil de ser comprovada, basta dar umas voltas pelas ruas da cidade. Não é preciso andar muito para encontrar a dupla (dono e cachorro) passeando, tranquila e distraidamente. Até aí, nada de mais. Você que conseguiu ler até já deve estar se perguntando: "qual é a novidade? Onde esse cara quer chegar?" Calma! Eu não quero ir muito longe. Apenas quero deixar claro que vou sozinho, não levo cachorro ou qualquer outro animal que não eu mesmo. Embora também queira deixar claro que nada tenho contra esses animais que são conhecidos como os melhores amigos do homem. Pelo contrário, eu até devoto a eles uma grande afeição, e por que não dizer, admiração? É isso. Na verdade, o que sinto pelos cães e cadelas com os quais encontro todos os dias pelas ruas da cidade do Rio de Janeiro, é uma grande admiração. Digo isso, para não dizer que o que sinto mesmo é dó, pena, compaixão...
     Deve ser muito dura a vida dos referidos bichanos que são arrastados ruas à fora pelos seus donos que, insensíveis a qualquer apelo dos animais, os obrigam a andarem pelas ruas e parques apenas para que eles cumpram seu papel de donos de cachorro e respondam àquela pergunta que não quer calar: você já seu levou seu cão para passear hoje? Em nome do cumprimento dessa obrigação de dono de cachorro (será que eles têm outra?) saem por aí desabaladamente sem ter sequer noção de que o pobre do animal tem vontade própria.
     Não fosse isso, ainda tem o agravante de que, não raro, donos de cachorro não tem nenhum tipo de preocupação com a limpeza das ruas, pois permitem que seus animais urinem e defequem nelas e, embora existem honrosas exceções, deixam o resultado disso pelo caminho e continuam o passeio  como os mais justos dos mortais. Quando alguém um pouco mais exaltado faz algum comentário ou reclamação reagem ora de maneira agressiva e mal educada ou colocam a culpa no animal dizendo: " nossa, fulano (o nome do animal), você fez isso? O papai (a mamãe)(?) já não disse que aqui não é lugar para isso, seu porco?" Geralmente terminam de dizer o texto repreendendo fisicamente o animal para que o reclamante veja que ele(ou ela) é um cidadão(ã)  muito consciente, o cachorro que não aprende a se comportar como ele ensina. Tenho a leve ideia de que fazem isso de propósito, pois nesse momento o reclamante (outro que tem grande admiração pelos aludidos animais), por ver o animalzinho ser maltratado, se arrepende de ter feito a reclamação e sai apressado se martirizando. Depois o dono de cachorro segue sem nada fazer em relação às fezes do animal que, a essa altura, já foi pisada por um sem número de passantes e virou uma mancha na calçada. Mancha essa que foi fazer companhia a muitas outras que já existiam.
     Isso me leva a acreditar que não são os donos que levam seus cães para passear e sim, o contrário. Acredito, sem querer ofender ninguém, que os cães são mais educados que seus donos, por isso mais preparados a levá-los a passear pelas ruas. Uma coisa eu tenho certeza, eles não permitiriam que seus animais urinassem e defecassem pelas ruas. Só falta recomendá-los a proibir seus donos de fumarem tanto enquanto passeiam.