Pesquisar este blog

sábado, 15 de maio de 2010

A história do limão

             Eu sei que essa história é velha: quando aparecer um limão, faça uma limonada.    Em dias de calor, não vejo outra pedida, até porque uma limonada gelada é sempre muito bem vinda, não é mesmo? Só que a questão não é essa. Falo daqueles momentos em que nos vemos diante de problemas que, embora pequenos, nos deixam com vontade de mandar todo mundo para "aquele lugar", comprar uma boa briga, ou seja, não deixar barato. Não vai me dizer que você nunca viveu uma situação dessas, ou mesmo levantou da cama com o pé esquerdo? Basta alguém esbarrar em você na rua para seu mundo vir a baixo e você ter uma reação daquelas de fazer  todo mundo parar para assistir o seu "barraco".
          Tem gente que tem como lema não levar desaforo para casa. Por qualquer coisa vai logo perdendo a cabeça. Não admite sair perdendo em nenhuma situação. Como se sair  brigando com todo mundo fosse resolver alguma coisa... Briga-se, discute-se, em muitos casos provoca muito barrulho, confusão e não se resolve nada. Tem um conhecido meu que está sempre reagindo a tudo. Briga por qualquer coisa. Sabe o que acontece com ele depois? Passado aquele momento de raiva, fica morrendo de vergonha. As vezes, chega a não sair de casa pensando que todo muito vai ficar olhando para ele.
          Esse tipo de situação acontece muito no transito, na rua, em fila de banco, supermercado e etc.( filas em geral), nos bares... Tem sempre alguém cortando seu carro no momento errado, entrando na sua frente na fila do banco ou do supermercado, jogando fumaça de cigarro na sua cara, falando alto  no celular do seu lado, enfim, coisas que irritam e podem levar você a uma reação nada simpática.
          Portanto, para não acontecer como acontece com aquele meu conhecido que eu citei lá em cima, a saída é respirar fundo e seguir em frente. Sei que isso é difícil e para alguns, praticamente impossível. Mas não tem outro jeito.  Sabe por que? Porque você corre  o risco de ficar morrendo de vergonha, como o meu conhecido, e nem querer sair de casa. Além disso, tem a sua saúde. Não vá se aborrecer à toa por aí correndo o risco de ter pressão alta, até mesmo um ataque cardíaco. Nada disso. Releve aquele encontrão, aquele patrão chato e mandão, seu companheiro (a) incompreensível, o vizinho que não dá bom dia, desculpe aquele motorista barbeiro, aquele escandaloso falando aos berros ao celular. Quando muito evite essas pessoas e situações. Ah, se afaste também dos fumantes mal-educados, que existem em grande número por aí. No mais, siga seu caminho sem se irritar ou aborrecer. Lembra daquela história da limonada?