Pesquisar este blog

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Sua vida não te pertence.

Resultado de imagem para imagem de sua vida não te pertenceDesde sempre a humanidade não faz outra coisa que não seja criar problemas. Parece que essa é a nossa maior distração. Não ficamos felizes se estamos concordando com tudo, precisamos discordar de alguma coisa para nos sentir bem. Por esse motivo que existem as guerras e todos os tipos de desavenças. 
Não conseguimos conviver respeitando as diferenças e as necessidades dos outros. Por uma razão inexplicável acreditamos que estamos sempre com razão e que o outro deve curvar-se a nossa vontade. Como o outro também pensa o mesmo em relação a nós, a coisa costuma ficar feia. Parte-se, geralmente, para briga. Primeiro ficamos no âmbito das provocações e xingamentos, depois partimos para o confronto corporal que, não raro, assume proporções violentas com final imprevisível.
No entanto, há muito as pessoas aprenderam os caminhos dos tribunais. Parece mais civilizado dar o poder de decisão que deveria ser nosso, uma vez que somos razoavelmente capazes disso, para uma terceira pessoa. Apenas parece, porque assim assumimos publicamente que não somos capazes de resolver os problemas que criamos. Somos incapazes de sentar com os nossos oponentes para tentar encontrar civilizadamente uma solução para as nossas diferenças.
A humanidade caminha cada vez mais, ao contrário do que se poderia esperar, para a total indigência acreditando estar a cada dia mais adiantada e civilizada. Como isso é possível se não conseguimos mais decidir nem as coisas mais triviais. Precisamos sempre de uma terceira pessoa para decidir por nós , para nos dizer o que certo e o que é errado.
Por isso vivemos a era das decisões judiciais, das liminares. Um casal depois de viver anos juntos e constituir família, não consegue decidir qual dos dois ficará com guarda dos filhos. É preciso que um juiz faça isso pelo casal. Isso é ser civilização? Na minha opinião isso é ser incapaz. Tão incapaz quanto é a criança cujo destino será decido por um desconhecido que ela nunca viu e que nada sabe da sua vida a não ser o que consta no processo.
Se a vida fosse uma novela, o título dela seria , sem dívida, "Sua vida não te pertence". Pois esse é o enredo da nossa da humanidade vive. A todo momento, juízes e juízas estão decidindo como as pessoas devem viver suas vidas, o que está certo ou errado, o que deve ou não deve ser feito. Juízes que nem de longe têm a sabedoria de um rei Salomão. Ainda bem, não é? Porque se algum deles propusesse a divisão de um filho ao meio, muito pais e mães de hoje em dia acabariam aceitando.

Bom domingo

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Sorria, é carnaval.

Resultado de imagem para imagem de sorria, é carnavalAntigamente, no tempo em que as religiões, sobretudo o cristianismo, imperavam, o povo vivia sobre marcação cerrada. Quase nada era permitido ao homem comum. Principalmente extravasar a sua alegria, uma vez que o simples ato de sorrir ou dar uma boa gargalhada não era visto com bons olhos pelos representantes das religiões. 
No entanto, havia um período em que as religiões davam uma trégua e permitiam, por um curto espaço de tempo antes de entrar na tenebrosa época da quaresma, que o sofrido povo se extravasasse um pouco esquecendo as suas dores e angustias e caísse na folia. É esse o período que hoje conhecemos como carnaval.
O povo entregava-se à esbórnia durante quatro dias e na quarta-feira de cinzas tudo voltava ao normal, ou seja, o cabresto era colocado de volta na cabeça e aí para ter uma folguinha só no próximo carnaval.
É bem verdade que estamos muito longe desse tempo. Hoje em dia, as religiões, com algumas exceções, já não têm tanto poder assim sobre as pessoas e a coisa está mais liberada. No entanto, a ideia do carnaval como tempo em que tudo é permitido e que a alegria parece mais presente nos corpos e mentes das pessoas ainda persiste. Basta sair às ruas para tirar a prova. Lá estão as pessoas, homens, mulheres, crianças e quem mais chegar, vivendo como se tivessem  saído de uma gaiola e que ganharam a liberdade por uns dias. Ninguém pode perder tempo e divertir é a única lei que todos querem seguir.
Sem dúvida isso é muito bom. Afinal não estamos mais na idade média, o fogo do inferno, ou das fogueiras da inquisição, não mais assusta ninguém. O que assusta hoje em dia é a violência, o desrespeito às individualidades, as doenças sexualmente transmissíveis e todos os tipos de drogas que nessa época, mais que em qualquer outra, circulam por aí.. 
Por isso, é preciso estar sempre alerta. Carnaval tem todo ano: é preciso entrar e sair da folia sem perdas e danos.. No mais, sorria, é carnaval.

Bom carnaval.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

O lado "bom" de conviver com pessoas do "mau".

Resultado de imagem para imagem para o lado bom de conviver com pessoas negativasLogo que percebemos que determinada pessoa do nosso convívio não tem bom caráter, temos hábito de nos afastar dela para evitar nos contagiar com sua energia ruim. Não há nada de mais nisso. Está corretíssimo. Ninguém é obrigado a conviver com pessoas de caráter duvidoso e que, quase sempre, costumam trazer sérios aborrecimentos para nós. Afastar-se desse tipo de pessoas é sempre o melhor caminho.
No entanto, há aqueles casos em que a coisa não é tão fácil assim. Não podemos simplesmente nos afastar daquela pessoa, ou pessoas, nem mesmo cortar relações porque se trata de pessoa muito próxima de nós: parentes próximos, colegas de trabalho, colegas de escola, vizinhos de porta e até mesmo pessoas das quais você depende por uma razão ou outra.
E aí surge a pergunta: como fazer nesses casos? Afinal de contas, você não pode cortar relações com todas as pessoas que têm caráter duvidoso. É bem provável que sobraria muito pouca gente no frigir dos ovos. Infelizmente, vivemos um tempo em que as pessoas não estão fazendo tanta questão assim de primar pelo caráter reto. Haja vista os inúmeros casos de corrupção de que temos notícia em todas as esferas governamentais e mesmo no nosso dia a dia. 
A reposta está em aceitar que nem todo mundo tem o mesmo grau de entendimento da vida que você. Se você, espero fortemente que sim, já conseguiu vencer algumas imperfeições próprias daqueles que se encontram encarnados neste mundo e consegue separar de certa forma "o joio do trigo", parabéns. Use o convívio com esse tipo de pessoas para aprender e cada vez mais ter certeza de que está trilhando o caminho certo.
Essas pessoas são a prova viva de que já não somos mais tão ignorantes como éramos antes de entender que a vida. Não brigue com elas, não as xingue, nem se afaste delas. Aprenda com elas e mantenha-se sempre firme em suas convicções e propósitos de vida. Sem que você saiba elas te ensinam muito. Ainda que seja pela negação.
Ao vê-las agindo sorrateiramente com seus ardis, mentiras, maledicências e provocações você, com certeza, pensa consigo: " eu não quero ser assim, não é bom agir dessa maneira". E esse pensamento reforça sua convicção de pensar e agir de forma positiva e construtivamente em relação a você mesmo e ao mundo que te rodeia.

Bom domingo.

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Ideias velhas.

Resultado de imagem para imagem de ideias velhas apresentadas como novasVivemos num mundo em que parece que tudo já dito, feito e experimentado. Mesmo assim, todos os dias são anunciadas novidades, coisas que nunca foram vistas, feitas ou experimentadas. E lá vamos nós, sempre ávidos por novidades, atrás daquela coisa nova e que, extraordinariamente, vai revolucionar as nossas vidas. Passado o primeiro momento, o que vemos diante de nós é uma velha ideias maquiada e apresentada como inédita. 
Isso se dá principalmente quando o assunto é espiritualidade. O homem parece ter prazer em enganar o seu semelhante impondo-lhe, sob a falsa condição de estar apresentando o único caminho que pode levar \à salvação, dogmas e regras sem sentido que não levam a lugar nenhum. Pelo contrário. Enchem a cabeça das pessoas de medo e temor. Passamos a viver escravizados por doutrinas fundamentadas mais na tristeza que na alegria, mais na dor que no amor. A velha ideia de que o mundo é um lugar de sofrimento, o eterno "vale de lágrimas".
Talvez já seja tempo de a humanidade livrar-se dessas doutrinas que aprisionam mais que libertam e nos colocam em becos sem saída, que nos fazem lembrar a todo momento da nossa pequenez e insignificância quando, ironicamente, dizem que fomos feito à imagem e semelhança do Criador. Se fomos feitos à imagem e semelhança de Deus, somos deuses também. Disso não pode haver dúvida, não é?
É por acreditar nessa "pequenez" que a humanidade permanece presa no atoleiro. Tentamos caminhar, ver uma luz no fim do túnel, mas as mensagens negativas que recebemos o tempo todo não nos permitem olhar par frente confiantes na nossa força e na nossa descendência divina. Descendência essa que não nos faz superiores, mas igualmente capazes de fazer desse mundo um lugar bom de se viver.
Todo esse caos que ora vivemos no Brasil e no mundo é fruto desse pensamento predador que alimentamos desde o início dos tempos. Quando é que vamos nos conscientizar de que não precisamos matar, roubar e destruir tudo à nossa volta para podermos nos sentir ricos e poderosos?  
Já está passada a hora de entendermos que toda riqueza e poder moram dentro de nós. Apenas precisamos aceitar e administrar essa força que emana do íntimo do nosso ser. O resto é pura enganação.  .

Bom final de semana.

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Viver é correr riscos.

Resultado de imagem para imagem de viver é correr riscosTodos sonham com uma vida tranquila e sem problemas em que bastasse desejar para ter tudo nas mãos na hora e, se possível, sem precisar fazer o menor esforço. Esse é o ideal de felicidade. Talvez um dia, não se sabe quando, chegaremos a esse estágio. Mas isso só acontecerá depois que evoluirmos bastante através do aprendizado constante e não tivermos mais a necessidade de enfrentar as vicissitudes da vida.
Até lá, sem que a luz do conhecimento dissipe a nossa cegueira, estaremos sempre enfrentando problemas e todo o sofrimento que eles geralmente acarretam. Portanto, não adianta tentar fugir da raia. Enquanto estivermos neste plano, vamos sempre encontrar dificuldades em nosso caminho, pois elas são a única maneira que temos para crescer e aprender.
Por isso, ao contrário de querer fugir dos problemas, devermos, antes de qualquer coisa, enfrentá-los de frente e tentar tirar o maior proveito que pudermos deles. Transformando cada problema, dificuldade ou obstáculo em oportunidade de crescimento pessoal e espiritual. Só assim poderemos caminhar no sentido de nos libertarmos dos problemas.
Chorar e reclamar não resolve. Pelo contrário. Só faz piorar. Enquanto estamos chorando e reclamando estamos, sem saber, nos negando a dar um passo à frente e, com isso, aumentando o tempo de duração de nossas provações. Provações essas que nós mesmos atraímos para o nosso caminho através de nossos pensamentos, ações e atitudes. 
Principalmente por causa da nossa eterna mania de reclamar e achar que tudo o que acontece em nossas vidas não é fruto da nossa responsabilidade. Em nossa maneira de pensar, somos eternas vítimas do destino, eternos coitadinhos que sofrem sem saber por que estão sofrendo. Já temos conhecimento o bastante para sabermos que isso não é verdade. 
Tudo o que nos acontece de bom ou de ruim em nossas vidas é da nossa inteira responsabilidade. Além do mais, ninguém nos ofereceu um paraíso quando viemos para a terra. Quem encarna nesse planeta precisa ter consciência de que esse não é um local de férias e regozijo. Basta olharmos para nosso lado para confirmar que não somos os únicos a enfrentar problemas. 
Todos padecem de algum mal, em maior ou menor grau. O que nos difere uns dos outros é a nossa capacidade de entendimento. Uns mais que os outros já entenderam que viver implicar correr riscos. Inclusive o risco de ser feliz. Para isso, basta enfrentar os problemas de frente e sem medo.

Bom domingo.

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Despedida



Resultado de imagem para imagem de despedida
bom. Eu sei que você vai dizer que nós dois temos conserto, que eu estou sendo precipitado e que ainda existe chance da gente se entender. Quer saber de uma coisa? Eu também acho. Mas é exatamente por isso que estou indo embora. Porque acredito... Vai ser melhor assim. Você segue a sua vida, eu sigo a minha. Precisamos fazer isso enquanto estamos inteiros, enquanto conseguimos ver as coisas com clareza e enquanto ainda existe respeito entre nós. Não temos o direito de, pela insistência, destruir algo que foi tão bonito, tão verdadeiro, tão intenso. Eu vou sentir saudades de tudo o que vivemos juntos: dos nossos jantares, das nossas noitadas, do sexo, das nossa viagens, dos nossos encontros e desencontros. Acima de tudo, vou sentir saudades de seu sorriso, de sua companhia. Levo tudo isso comigo para sempre porque valeu muito à pena esse tempo que ficamos juntos. Espero que você também lembre de mim como uma coisa boa que te aconteceu. Adeus.     

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Não deseje nada ao outro que você não queira na mesma medida.

Resultado de imagem para imagem de somente deseje ao outro aquilo que você quer para si na mesma medidaMuito se fala da lei do retorno. Vez ou outra vê-se alguém alertando: "cuidando com aquilo que está desejando para o outro, isso volta para você". Apesar do constante alerta, continuamos a agir da mesma maneira. Basta ficarmos um pouco contrariados com alguém que lá estamos nós praguejando ou desejando que aquela pessoa se dê mal dessa ou daquela forma. Sempre escolhemos as piores privações para o nosso ofensor, afinal de contas, somos peritos em julgamentos sumários.
Quem nos vê agindo assim repete o alerta e  justificamos dizendo que a tal pessoa fez isso e aquilo e que, portanto, merece ser punida da forma mais severa possível. Cheia de boas intenções, a pessoa aprofunda o conselho avisando-nos que aquilo não se faz e que é melhor esquecer a ofensa, perdoar e seguir em frente.
É nessa hora que enfurecemos mais. Como pode uma coisa dessas? Nós não somos santos para perdoar as ofensas que recebemos, nem mesmo temos sangue de barata. E aí voltamos no tempo e agimos como se vivêssemos na época do antigo testamento> "Comigo é dente por dente e olho por olho" bradamos esquecidos de que Jesus veio para mudar essa lei e que agora a lei que devemos seguir é a lei do amor e do perdão.
Seja como for, o que precisamos entender é que tudo aquilo que desejamos aos outros vem para nós, cedo ou tarde, na mesma medida independente de termos ou não razão. Partindo desse princípio, não fica difícil entender que não é nada inteligente de nossa parte sair por aí desejando que coisas ruins aconteçam com as pessoas com as quais nos indispomos sabendo que isso volta para nós inexoravelmente. 
Todos sabemos que não é fácil perdoar. Ainda somos muito atrasados na pratica do perdão na forma que ensinada pelo mestre Jesus. No entanto, podemos tentar não alimentar o sentimento de ódio em nosso coração. Se não dá para perdoar apenas se afaste daquele que lhe fez aquela ação que julga ser má e que te prejudicou tanto. Deixe que o tempo cuide de fazer o acerto de contas. 
A lei da atração explica porque muitas vezes atraímos para nós situações e pessoas que não desejamos. É preciso olhar para dentro de nós e ver o que precisamos mudar em nossas atitudes e pensamentos para afastar situações desagradáveis e isso pode ser conseguido ao somente desejar aos outros aquilo que queremos para nós na mesma medida. Dessa forma acalmamos nosso coração  e ficamos em paz, dando e recebendo amor. 

Bom domingo.+

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Liberdade de escolha.

Resultado de imagem para imagem de liberdade de escolhaApesar de bradarmos aos quatro ventos que somos pessoas livres e que fazemos apenas aquilo que queremos, nossas ações dizem exatamente o contrário. Na verdade, vivemos como se fôssemos robôs comandados por uma força desconhecida e que muitas vezes, dizemos, nos leva por caminhos que não queremos trilhar.
Sem dúvida, seria muito cômodo jogar toda a responsabilidade no destino ou no acaso por nossos erros e acertos. Afinal de contas, se assim fosse, ficaríamos completamente isentos de qualquer responsabilidade sobre os nossos atos e, portanto, "livres" para errar ou acertar sem disso precisar prestar contas . 
No entanto, por mais que pensemos o contrário, todos os nossos atos e ações são decisões nossas e de nossa inteira responsabilidade. Mesmo que possa parecer que ao agir o fazemos sem muita consciência, as nossas decisões e escolhas seguem nossas inclinações e desejos ainda que eles não pareçam muito claros para nós no momento em que agimos. 
Somos realmente pessoas livres, podemos fazer o que bem quisermos de nossas vidas.. Podemos ser pessoas boas preocupadas com o bem-estar de todos aqueles que nos rodeiam, pelo planeta que habitamos e podemos, também, escolher viver de forma egoísta e individualista esquecidos de nossas obrigações e deveres, nossa responsabilidade por tudo de bom ou de mau que acontece a nossa volta. A escolha é nossa. Essa é a nossa tão decantada liberdade.
Ao lutarmos para ser livres, estamos, na verdade, lutando para sermos os reais agentes de nossas vidas e destinos. Uma pessoa livre não pode responsabilizar o outro pelas suas ações, pelos caminhos que escolhe trilhar a cada momento de sua vida, a cada passo que dá.  
A liberdade é o nosso dom mais precioso e ao mesmo tempo uma espada afiada. É preciso saber usá-la ao nosso favor escolhendo caminhos que vão nos levar ao verdadeiro conhecimento de nós mesmos. Quando nos conhecemos melhor, podemos fazer escolhas melhores e mais acertadas das quais não precisaremos nos arrepender mais tarde.

Bom final de semana.