Pesquisar este blog

sábado, 24 de dezembro de 2016

O direito de acreditar.

Resultado de imagem para imagem de direito de acreditarCresce no mundo o número daqueles que levados pelos acontecimentos da vida (sobretudo os acontecimentos ruins, as tragédias etc) deixam de acreditar que exista algo maior do que nós e passa a condenar qualquer tipo de manifestação religiosa, dizendo serem todas frutos da ignorância daqueles que as praticam.
Todos temos direito de acreditar ou deixar de acreditar no que quisermos. Não existe lei que  obrigue alguém a acreditar naquilo que não acredita, principalmente, quando se vive numa democracia. E isto também se estende a Deus. Se você não acredita que exista um Deus que criou o mundo e tudo o que existe nele, esse é um direito seu que não pode ser negado. É preciso que se respeite essa sua posição.
Por outro lado, o contrário também é necessário ser respeitado. Se alguém acredita que existe um Deus criador de todas as coisas e que rege as nossas vidas, é necessário´que isso lhe seja permitido sem críticas ou constrangimentos.
Apesar de todos os avanços que experimentamos dia a dia, ainda estamos muito longe de desvendar os mistérios que envolvem o nosso mundo, sua criação e sua manutenção. O que se pode dizer de certo é que de algum lugar saímos e para algum lugar estamos marchando. No mais, é impossível dizer com certeza que este ou aquele caminho é o certo. Também não se pode dizer que aqueles que não acreditam em nada e se dizem ateus estejam certos ou errados. 
Precisamos urgentemente aprender a respeitar as posições uns dos outros para que possamos viver em paz. É triste ver pessoas que se dizem ateus atacarem aqueles que pensam o contrário com palavras chulas e perguntas inócuas. Isso fica mais forte nos momentos de tragédia. Nesses momentos, os ditos ateus perguntam onde estava Deus que não impediu tal acontecimento e permitiu que muitas vidas fossem ceifadas de maneira trágica.
Em primeiro lugar, Deus não existe para impedir tragédias ou garantir a nossa segurança. Não é esta a função de Deus. Segundo, nós temos o livre-arbítrio e é ele que comanda a nossa vida. Cada passo que damos é uma escolha nossa, consciente ou inconsciente. Portanto,  não podemos culpar Deus por nossas escolhas que não dão certo.
Acreditar num Deus ou numa força superior não nos faz à prova de tragédias ou de acontecimentos desagradáveis. Apenas nos faz melhores, mais responsáveis e capazes de entender os mistérios que envolvem esse mundo. Entre esses mistérios está o mistério do natal, essa festa que contagia crente e não crentes, cristãos e não cristãos.

Feliz natal!