Pesquisar este blog

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Cascas de bananas.

     Acho que todos conhecem aquela antiga advertência: "cuidado para não escorregar numa casca de banana e quebrar a cara". Infelizmente, era comum ver gente escorregando na tal casca e se esborrachando no chão. Além dos possíveis danos físicos, tinha o vexame que a situação provocava. Já pensou você estatelado(a) no meio da rua? Nem queira. Era risada na certa. Ninguém perdoava e o seu vexame virara diversão gratuita.
    Porém, você levantava, juntava os caquinhos e seguia o seu caminho ou, dependendo do dano, ia em busca de socorro médico.  Passado os anos, as "cascas de bananas" continuam espalhadas por aí e os tombos continuam, sejam eles em que nível ou do tipo que forem.
    Só que nesses tempos de socais, você não mais está sujeito apenas às risadas dos que presenciam a sua queda. Há sempre uma câmera ligada por perto e então...  Bem, a "escorregadela" corre o risco de cair rede e muita gente poderá ver. Aquele grupinho restrito que presenciou o fato pode ser infinitamente ampliado. Os malditos compartilhamentos existem exatamente para isso.
    A partir daí, para os que gostam de ter quinze minutos de fama e têm senso de humor, nada de mais. É só se juntar aos que estão rindo e rir junto. Mas para os que não gostam dessa exposição toda e, ainda por cima, negativa, a coisa fica um difícil de aturar. Onde quer que você vá vai ter alguém rindo ou apontando o dedo para você:
- Ei, você não é aquele ou aquela...
    Não adianta fugir ou fazer desmentidos. Todos sabem que é você e negar pode não ter resultado nenhum e até aumentar a chateação. Relaxe e deixe o tempo passar. Não há outro remédio. Outra alternativa é torcer para que novas escorregadas o tirem do foco das atenções. Afinal de contas, enquanto se ocupam em rir de outros esquecem de você.

Bom domingo.