Pesquisar este blog

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

É preciso saber se (re) inserir.

     Acontece com bastante frequência (muito mais até do que a gente muitas vezes gostaria) de perdemos o contato com pessoas ou grupo de pessoas que eram ou são importantes em nossa vida social e profissional. Um belo dia acordamos e descobrimos que nos transformamos em verdadeiros desconhecidos para as pessoas com as quais conviviamos e nos lugares onde antes transitávamos com desenvoltura e facilidade. E a aí é aquele "deus nos acuda".
     Parece que estamos sozinhos no mundo e que todos nos esqueceram para sempre. Tentamos fazer contato de todas as formas e tudo que recebemos de volta é o mais absoluto silêncio. Não tem jeito, não há como negar:  fomos esquecidos mesmo.
     Isso se dá por diversos motivos: seja porque você teve que fazer uma viagem, mudou de cidade, saiu do emprego ou porque quis se afastar de tudo e de todos voluntariamente e agora está querendo (precisando)  retomar as relações cortadas ou perdidas. 
     Ou seja, motivo é que não faltam para que esses distanciamentos aconteçam. O certo é que nossos interesses também mudam de vez em quando e isso nos leva a dar mais atenção para um lado que para outro e quando damos por si perdemos  de vistas pessoas e coisas com as quais gostamos de estar, trabalhar, conviver e conquistar de volta se torna um trabalho penoso e até inglório, para  não dizer simplesmente impossível.
     Muitas relações cortadas, quebradas, perdidas, negligênciadas jamais são recuperadas por um monte de razões que não nos cabe aqui enumerar. Mas uma coisa sabemos, por motivos afetivos ou de sobrevivência, estamos "na pista" de novo e precisamos nos (re) inserir. Não dá para ficar à margem de tudo apenas reclamando da sorte e tentando desesperadamente trazer de volta um tempo que passou.
    Além do mais, você não é mais o mesmo, as pessoas, aquelas com as quais você se relacionava, também não são mais as mesmas, o tempo é outro, você, provavelmente, está mais velho, a vida lhe agregou algumas coisas e tirou outras. Trocando em miúdos: nada é como antes.
    Então, se ao estar de volta você tentou recuperar aqueles relacionamentos antigos e não conseguiu porque todo mundo já estava em "outra" e nem lhe reconhece mais, não adianta ficar deprimido e virar ermitão. Nada de se sentir excluído para sempre. Mãos à obra. Pode ser difícil, mas não é impossível. 
    A saída é começar tudo do zero, agir como se estivesse chegando agora e saber que tudo está por fazer. É isso mesmo. Crie uma "embalagem" nova e saia por aí vendendo o produto: você. Apenas não se esqueça de ser honesto, tentar não cometer os erros do passado e valorizar suas conquistas e aprender que quando, voluntária ou involuntariamente, precisamos nos afastar de alguém ou de alguma coisa devemos sempre deixar uma porta aberta. Nunca se sabe o dia de amanhã, não é mesmo? No mais: BOA SORTE!