Pesquisar este blog

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Desobsessão.

     Embora esse não seja um assunto novo ( pelo menos desde a passagem de Jesus Cristo pela terra já se tem conhecimento de sua prática), nos últimos tempos ele tem se tornado mais e mais popular: a desobsessão. Nunca se falou tanto desse assunto e sua prática, antes restritas às religiões chamadas espíritas (principalmente a Umbanda), agora parece tomar de assalto até mesmo aqueles lugares onde ele era tabu.
    Antes se tinha notícia dos padres exorcistas da igreja católica, mas agora até as igrejas evangélicas têm apresentado as desobsessões em seus "cardápios" e parece que a aceitação é grande. Todos querem passar por uma sessão de desobsessão e ficar livre dos seus obsessores. Pensam que assim estarão aptos para viver suas vidas sem nenhum espírito enxerido por perto.  Pois se acredita que nossos irmãos desencarnados são os responsáveis (além de muitas outras coisas) por todos aqueles desvios de conduta que nós encarnados por vezes ( ou sempre) apresentamos.
    Há toda uma crença envolvendo problemas com sexo, bebidas, doenças, loucura (de toda espécie), falta de caráter,  falta de ânimo para viver e trabalhar (preguiça mesmo), falta de fé e outros mais são obsessão. Segundo essa visão, tudo é influência maléfica dos espíritos que parecem não ter coisa melhor para fazer no mundo espiritual senão desencaminhar os pobres e incaultos encarnados.
    É bem provável que isso aconteça mesmo. Afinal, quanta gente sai da terra (via morte) sem estar preparado? Uma vez livres do corpo e permanecendo "vivos" fazem disso um meio de continuar participando da vida na terra de onde, muitas vezes, nem chegam a sair. Permanecem por aqui acreditando não terem morrido, em muitos caso, ignorando todo um mundo que o aguarda na espiritualidade, longe das agruras da terra.
    Porém, é preciso que se diga que há toda uma série de enganos nisso tudo. Vá lá que a morte não transforme (como às vezes queremos crer) as pessoas em santas. Definitivamente não acredito nisso. Também não acredito que nós aqui na terra sejamos tão indefesos assim ao ponto de ficarmos o tempo todo à mercê dos espíritos ditos malignos. Não se pode jogar a responsabilidade dos nossos atos e atitudes nos ombros dos outros. Nossas atitudes sejam elas sob influência ou não de quem quer seja (encarnado ou desencarnado) são da nossa responsabilidade.
    Por isso, não acredito que as sessões de desobsessão sejam  a solução para os nossos desvios. Sabe aquela lei da atração? Talvez ela explique melhor porque em determinado momento podemos atrair para junto de nós seres encarnados ou desencarnados de má índole. Antes de procurar uma sessão de desobsessão, seria melhor que a gente pensasse em quem está obsedando quem. Afinal, muitas vezes, nós é que chamamos essas companhias para o nosso lado através dos nossos pensamentos e como diria a igreja católica, "atos e omissões". Além daqueles que deliberadamente convidam esses seres para fazer parte de suas vidas acreditando assim estarem seguros e amparados. Uma vez que percebem a "burrada" que fizerem querem a qualquer custo ficarem livres da "obsessão".
     Trabalhando como médium vi muitos desses casos. Passados milhares de anos, a humanidade ainda continua no mesmo ponto. Ainda queremos subjugar forças que não conhecemos para depois descartá-las. Isso é a cara de nossa sociedade atual: usamos as coisas e jogamos fora quando elas não servem mais ou cansamos da "brincadeira". Para muitos, a desobsessão não é nada mais do que uma forma de se  desfazer daquilo que não interessa mais. E aqueles que perceberam esse "filão", fazem a festa.