Pesquisar este blog

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

"Mineirice" é defeito?




     Não é difícil se encantar com o jeito alegre de viver do carioca. O Rio de Janeiro é, sem sombra de dúvida, um lugar maravilhoso de se viver. Não é à toa que é chamado de "cidade maravilhosa". Além de muitos outros tipos, o Rio é o paraíso dos nordestinos com seu jeito igualmente animado de levar a vida. Nesse encontro de cariocas e nordestinos, sob as bençãos do Cristo Redentor e iluminado pelo sol, a cidade é o cenário perfeito para o bom humor e a alegria. Viver no Rio de Janeiro é algo como viver a vida comemorando. tal é a sensação de bem estar que se sente.
    Também faço parte daqueles que se sentem abençoados por viver aqui e que tem o privilégio de acordar todos os dias numa das paisagens mais lindas do mundo. Porém, e apesar de tudo, eu sou mineiro. E isso, acredite você ou não, faz diferença. Nós mineiros, se é que posso falar pelos os outros mineiros, estamos longe de ser as pessoas mais extrovertidas do mundo. Somos, mais uma vez tomando a liberdade de falar no plural, uma espécie um tanto triste, principalmente quando estamos fora do nosso "habitat natural". Isso nos impede (a mim particularmente) de incorporar toda a alegria dos cariocas e nordestinos.
    Por isso, vez por outra, sou tido como mal humorado, quieto, calado, triste e tudo o que se fala de alguém que não chega nos lugares cumprimentando a todos, sorrindo, falando, brincando. Fato que sempre me deixou um tanto intrigado. Afinal de contas, não faço gênero: sou mesmo um cara tímido e evito falar, dar a minha opinião (a não ser escrevendo aqui no blog) ou fazer o tipo articulado.
    Você pode até dizer que isso não é nada de mais. Eu também acho. Ser tímido, calado e um tanto recluso não faz de ninguém um ser de outro mundo, não é mesmo? Só que no frigir dos ovos,  o tipo caladão não é muito bem-vindo. Tem muita gente que interpreta o " jeito mineiro de ser" como esnobe ou de gente que não gosta de se envolver. Posso afirmar que não é verdade.
    Com isso fico me perguntando: "Será que "mineirice" é defeito? Para ser bem aceito eu preciso deixar de ser quem eu sou? Não há dúvida que acredito que o jeito "carioca" é o mais aconselhado. Alegria, entusiasmo, bom humor não fazem mal a ninguém, não é? Mas o jeito quieto do mineiro não é de forma nenhuma atestado de que não vivemos de bem com a vida. Apesar desse jeito estranho e contemplativo de viver a vida, mineiro também gosta de se divertir. E nunca é sem tempo dizer: eu também.