Pesquisar este blog

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Opinião sincera.

Olha, eu vou te perguntar uma coisa, mas quero que você seja sincero, ouviu? Muitas conversas começam exatamente assim. Alguém quer a sua opinião sobre algum assunto ou sobre ele mesmo e intima você a usar de total sinceridade. Aí, você fornece a tal "opinião sincera" e a reação da pessoa não é nada boa.

Infelizmente, você caiu num conto. Dificilmente, uma pessoa está falando sério quando pede que você dê "uma opinião sincera". Atrás desse pedido está: "por favor, minta para mim, eu não suporto ouvir a verdade".

Sei que pode parecer exagero meu, mas tente observar isso daqui por diante. Com certeza, você vai chegar à mesma conclusão que eu cheguei depois de, ingenuamente, sair por aí dando opiniões sinceras, atendendo a pedidos.

Portanto, se a pessoa vir com um pedido desse, saia fora. Ou diga que o vestido fica muito bem quando na verdade você acha o contrário, que o sapato é muito adequado quando não o é,  que a pessoa emagreceu todos os quilos que pretendia quando o olhar nem a balança não atestam isso.

Pode parecer que eu estou induzindo você a sair dizendo mentiras por aí.  Não é nada disso. Apenas estou tentando, usando de minha própria experiência, te livrar de aborrecimentos e de perder uma amizade que, apesar dos pesares, não é de se jogar fora. Nesse nosso mundo de aparências, a sinceridade pode ferir mais que  uma navalha afiada. 

E ainda tem aquele ditado que diz: "quem faz a pergunta já sabe a resposta". Se a pessoa perguntou a sua opinião é porque não está segura. Qualquer coisa que você falar só vai aumentar a indecisão e a insegurança. Melhor mesmo é sair pela tangente dizendo que não entende do assunto. E se entender... Bem, se entender, aí é outra coisa. 

Nesse caso, você estará falando profissionalmente. Provavelmente, a pessoa não vai ser louca de contestar seu diploma de graduação, sua pôs, mestrado, doutorado...


Bom domingo.