Pesquisar este blog

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Selvageria e intolerância.

      Estamos vivendo um tempo em que ficou muito difícil pensar, viver e agir diferente dos outros. Por mais que se fale em liberdade, sobretudo de expressão, os exemplos de intolerância com aqueles que pensam ou vivem de forma diferente têm sido flagrantes. Em nome da defesa de seus pontos de vista, muitos tomam atitudes que podem ser claramente classificadas como intolerantes.
     Um exemplo disso foram os ataques sofridos, em sua vinda ao Brasil, pela blogueira cubana, Yoani Sánchez. Muitos partidários de Fidel Castro e que não concordam com a luta por liberdade da blogueira acharam por bem atrapalhar a vida da moça, tentando impedir que ela participasse de alguns eventos.
     Que nome se dar a isso que não seja intolerância, cerceamento da liberdade? Essa foi uma demonstração de que essas pessoas não respeitam a opinião do outro, não respeitam a luta do outro. Ninguém é obrigado a concordar com tudo. Essa é uma grande verdade e um direito de todos.
     O que não se pode é acreditar que a luta de uma pessoa é sem valor porque vai contra aquilo que pensamos ou defendemos. É desse tipo de atitude que nascem os ódios e as guerras que tanto destroem vidas mundo afora.
     Parece que as pessoas acreditam que o  vale é o que elas pensam e fazem em detrimento do o outro faz ou pensa. Vivemos numa democracia, mas parece que pensar diferente é proibido. Querem todos pensando da mesma maneira, agindo do mesmo jeito. E a pluralidade? E a diversidade tão importante para a manutenção da vida nesse planeta?
     Passados tantos anos, vencidas tantas lutas, depois de tantos avanços será que estamos voltando no tempo? Ou será que não estamos sabendo usar a liberdade que tanto almejamos e que conquistamos a duras penas?
     Nesse mundo globalizado e integrado que pretendemos não podia haver espaço para tantas manifestações de selvageria e intolerância. O fato de não concordarmos uns com os outros não significa que sejamos inimigos ou adversários.