Pesquisar este blog

sábado, 5 de janeiro de 2013

Todos unidos em torno de uma mesma fé.

      É de conhecimento geral que a palavra religião significa religar, ou seja, levar-nos de volta a Deus, a grande força criadora da qual, segundo se acredita, nos distanciamos por causa do pecado. Então, a religião  tem a função de nos religar ao Criador. Por isso, todos os povos desde sempre procuram se unir em torno de uma só crença e, através dela, restabelecer esse contato tão importante e vital para o equilíbrio de nossas vidas.
     Não é de se assustar o fato de que normalmente cada povo tem a sua maneira particular de ver esse Criador e de buscar contato com Ele. Assim temos o judaismo, o induismo, o budismo, o islamismo, o candomblecismo, o cristianismo, o espiritismo, o chamanismo e muitas outras religiões. Umas mais conhecidas e com mais seguidores e outras com menos adéptos, mas nem por isso menos importantes.
     Nos dias de hoje, por incrível que pareça, uma vez estarmos vivendo uma era de grandes transformações em nossa sociedade e por sua vez também nos indivíduos, essa busca pelo sagrado, pelo divino, pela fonte criadora está cada vez mais forte. A humanidade tem tido cada vez mais necessidade de voltar-se para algo  maior que não a deixe tão presa a uma vida apenas materialista e ligada ao consumo desenfreado.
     Se por um lado isso é muito bom, por outro acabou por surgir algo, na minha opinião, um tanto contraditório: ao invés de unir toda a humanidade, esse desejo de se religar nos separa, nos faz verdadeiros inimigos, nos impossibilita a convivência. Estranho isso, não? Todos temos um objetivo comum, mas ele nos separa.
      Isto se dá porque cada grupo religioso se acha dono da verdade. Ninguém quer saber de ouvir o que o outro tem a dizer mesmo quando dizemos que cultuamos o mesmo Deus. Se parássemos para prestar mais atenção no outro perceberíamos que todas as religiões têm muitos pontos em comum e que no fundo todos estamos falando da mesma coisa, apenas usando palavras diferentes, rituais diferentes.
     Seria muito bom se toda humanidade professasse uma única e mesma fé (religião), mas como isso ainda  não parece possível o jeito é tentarmos conviver com mais harmoniaa e respeito, sem ninguém pensando ser melhor do que o outro por esse ou aquele motivo.
     Precisamos incorporar à palavra religião a ideia de união entre os diferentes povos da terra em torno do nosso Criador.