Pesquisar este blog

domingo, 10 de maio de 2015

Sinal dos céus.

Resultado de imagem para imagens de sinais no céuO homem sempre buscou sinais do céu para guiar sua vida na terra. Basta uma passada de olhos na Bíblia e lá estão incontáveis exemplos. Talvez o mais conhecido deles seja a "estrela de Belém", aquela que guiou os três Reis Magos até o local onde Jesus tinha nascido. 
Mas não quero falar apenas de sinais. Do céu também vinham vozes, como a que falou com Moisés, e até se abria vez ou outra. O fato é que nos tempos mais remotos havia uma ligação mais estreita entre céu e terra. Era algo como a nossa comunicação de hoje. O homem olhava para o céu e falava diretamente com Deus sem muita burocracia. Parece que o próprio Deus estava mais disponível para o diálogo.
No entanto, com o passar do tempo, essa comunicação foi diminuindo e já não temos mais notícias  de homens que falam com Deus diretamente e ouve as respostas para as suas indagações. O que terá acontecido? Será que o homem perdeu o elo de ligação com o alto ou será que nos afastamos de Deus e Ele de nós.
Talvez nem uma coisa nem outra. O que houve é que ficamos a cada dia mais céticos. Os primeiros homens eram mais crédulos. Para eles, os sinais tinham muitos significados importantes para as suas vidas e era necessário que fossem interpretados. Coisa que hoje não fazemos mais muita questão. Deus fala, manda sinais e nós permanecemos cegos, surdos e mudos. 
Em algum momento, passamos a acreditar mais em nós mesmos que numa força criadora. Ou então, criamos um Deus que cabe exatamente dentro das nossas expectativas. Na verdade, um extensão nossa. Sem querer querendo voltamos aos tempos do paganismo e estamos sempre prontos a criar deuses de acordo com as nossas necessidades.
É por isso que assistimos a criação de tantas igrejas, tantas seitas. Basta uma igreja ou religião não nos agradar para que saiamos por aí criando algo que "caiba dentro dos nossos sonhos e expectativas". Decidimos que devemos ser aceitos do jeito somos, e temos razão de pensar assim, mas até que ponto? 
Precisamos, urgentemente, voltar a olhar para o céu. Quem sabe a gente tem algum "sinal" que nos dê a direção que tanto buscamos?