Pesquisar este blog

sábado, 12 de maio de 2012

Mãe, o maior amor.

     Dizem muitos que o dia das mães não passa de uma data comercial e que os comerciantes fazem a festa. Por um lado, não deixa de ser verdade, porque não existe filho (a) nesse mundo (pelo menos, eu assim acredito) que, podendo, não se dispõe a comprar um belo presente para sua mãe. Ainda que seja uma lembrança simples, algo apenas para não deixar a data passar em branco e ver brotar um sorriso emocionado nos lábios daquela que lhe deu a vida. E ela. lógico, vai receber o presente com aquela frase clássica de toda mãe:
- Não precisava, filho.
É claro que precisava. Nada no mundo é capaz de pagar o sacrifício e a dedicação de uma mãe e todas elas gostam de ser lembradas, amadas, visitadas. Mesmo quando dizem o contrário.
    Agora, deixando de lado aqueles que insistem em ver a data apenas como comercial  o que eu, particularmente, não acho tão comercial assim.  Afinal nossas mães merecem todos os presentes, afagos e tudo mais, não é verdade?  O que gostaria mesmo é de falar sobre a palavra mãe, esse substantivo que dá nome àquelas cuidam de nós, que nos embalam, amamentam, educam, encaminham na vida simplesmente por nos amar. Sem nada pedir em troca.
     Durante a nossa vida usamos muitas palavras, muitas delas acabam perdendo o valor, mudam de significado e tudo o mais, mas a palavra mãe... Essa nunca perde seu sentido inicial para nós. Qualquer filho (a) de todas as idades vão sempre dizer essa palavra com o mesmo tom de chamamento, de busca, de volta ao ponto de partida.
     Por mais que a gente de se distancie delas, elas estão sempre presentes. Ainda que seja apenas na nossa memória, ainda que seja apenas nos nossos documentos ela está sempre lá. Mãe é para sempre.. Viva, morta, presente, distante, boazinha, brava. Não importa. Mãe é mãe. Mãe é tudo. Sem elas, não seríamos nada. Sem elas, não existiríamos.
    Como dizer obrigado? Como demonstrar que somos gratos por tudo o que elas fizeram e fazem por nós? É quase impossível. Nada paga. Aliás, só existem uma coisa capaz de apagar todos os nossos malfeitos, malcriações, toda nossa desatenção, toda nossa ausência: o amor.
     Toda mãe deve ser amada com o melhor amor que temos dentro de nós. Não serve um amor mais ou menos, um amor condicional, só vale o maior amor que temos. Aquele amor que vence o tempo e supera a morte. Um amor que não acabe nunca, feito o amor que elas têm por nós.

Feliz dia das mães.