Pesquisar este blog

domingo, 6 de novembro de 2016

O poder do silêncio.

Resultado de imagem para imagem de o poder do silêncioTem uma música da Dolores Duran que diz: "quero o silêncio de bocas cansadas". Isso sempre me intrigou. O que seria esse silêncio de bocas cansadas? Depois de pensar um pouco cheguei a conclusão de o que a cantora queria mesmo era silêncio. Devia estar cansada do blá blá blá que a cercava,  E acho que é isso que nós muitas vezes precisamos, parar com o falatório, o blá blá blá e fazer silêncio.
O silêncio, apesar de nos aterrorizar, é necessário. Mais que isso, o silêncio é vital. É através dele que nos conhecemos melhor. Passamos tempo demais falando sem nem saber o que e porque falamos. Parece que temos um compromisso com a palavra e mesmo quando não temos nada a dizer falamos sem parar.
Talvez isso aconteça por medo da solidão. Enquanto ouvimos algum barulho temos a sensação de que não estamos sozinhos. Será mesmo verdade? É preciso pensar melhor nessa questão. Talvez não seja bem assim.  
Não é tarefa fácil calar todas as vozes que gritam o tempo todo dentro de nós. Ninguém em sã consciência duvida disso. Desde que aprendemos as primeiras palavras disparamos a falar e não paramos mais. 
Muitas vezes, só ouvimos o som da nossa própria voz, ou seja, monologamos o tempo todo. Há quem nem preocupe se tem ou não alguém ouvindo ou se sua fala tem ou não alguma relevância. O importante é estar com a palavra. Há também os que passam o tempo provocando barulhos para ocupar o vazio  do silêncio; o som alto dos eletrodomésticos é o mais comum. 
Só quando aprendemos a cessar o falatório tanto externo quanto interno é que nos damos conta de que falamos sem parar e sem pensar. Muitas vezes, palavras vãs que nada constroem de bom em nossas vidas e nem na vida ninguém. Pelo contrário, quase sempre são palavras negativas e que deveriam ser silenciadas para não provocar estragos em nossas vidas. 
Quando aprendemos a fazer silêncio e descobrimos a sua importância para o nosso equilíbrio mental, emocional e espiritual é que passamos a dar a ele o seu devido valor. Ninguém precisa se afastar do mundo, das pessoas ou virar um ermitão. Basta escolher algumas horas ou minutos do dia para ficar a sós consigo mesmo. Acredite, você é uma boa companhia para você. 
Nesses momentos, deixemos os problemas de lado, esqueçamos as dívidas que estão atrasadas, todas as preocupações do dia a dia e nos entreguemos ao silêncio. Não pensemos em nada, apenas fiquemos quietos.. Assim, vamos descobrir que o silêncio tem muito as nos dizer e ensinar.

Bom domingo!