Pesquisar este blog

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Vivendo em paz com o mundo interior e exterior.

Não é pouco comum as pessoas terem opiniões negativas sobre si mesmas, não é? Têm aqueles que se acham  muito feios, muito gordos, muito magros, os mais baixinhos do mundo, narigudos, orelhudos, carecas, desajeitados, em quem nada combina, os que se sentem "sem graça", enfim, a lista é muito grande. 
     Está bem. Muito  falam assim de brincadeira, apenas para serem simpáticos e modestos ou porque estão querendo ouvir exatamente o contrário: "O que é isso? Você não é nada disso."
     Em qualquer um dos casos, a pessoa está prestando um desserviço à si mesma. Pois a maneira que nos vemos ou nos mostramos é a mesma que somos vistos. Não que a gente deva sair por aí se dizendo aquilo que não é apenas para ser visto dessa ou daquela maneira. Não é isso.
     Acima de qualquer coisa, devemos ser sinceros e justos nos nossos julgamentos. Um defeito e uma qualidade não deixam de ser o que são por serem mascarados ou salientados. O que devemos é buscar motivos para ter uma justa e boa opinião a nosso respeito. Agindo assim, estaremos influenciando as pessoas que vivem ao nosso lado. Se eu gosto de mim, fica mais fácil dos outros também gostarem, não é?
     Ter uma "boa e justa"  a nosso respeito significa olhar no espelho e gostar do que vemos, ser felizes com aquilo que somos e estar sempre prontos a fazer as modificações necessárias, quando necessárias.
     E, antes de qualquer coisa, nos aceitar como somos. A auto aceitação é meio caminho andado para vivermos em paz com a gente mesmo. E quem vive em paz consigo, vive em paz com o mundo.
Amemo-nos cada vez mais.