Pesquisar este blog

sábado, 27 de dezembro de 2014

Na onda do natal.

     Eu sei que você está achando que eu estou atrasado. O natal já passou e sua cabeça está totalmente voltada para a passagem do ano. Mas não existe engano algum. Eu deixei para falar do natal somente quando ele tivesse passado. Fiz isso por um motivo muito simples: o natal é um período lindo, quando todos -  crianças, jovens e adultos -   se preparam para algo de extraordinário que vai acontecer.
     Esse acontecimento extraordinário é o nascimento de Jesus. Apesar de somente isso justificar tanta festividade, essa data marca também a possibilidade de uma grande revolução dentro de cada um de nós. De certa forma, como Maria, a mãe do menino que vai nascer, todos ficamos "grávidos" de esperança, de amor, de vontade que tudo de bom aconteça.
    Nos dias antecedem a data, andamos pelas ruas como que encantados. Mesmo com a pressa diária, parece que as pessoas ficam mais suaves, tolerantes. As crianças, os namorados, os casais, os amigos todos aguardam ansiosos. Muitos escrevem cartas, fazem pedidos, fazem insinuações, outros gritam bem alto suas expectativas.
     É claro que nem tem todo mundo tem os seus desejos atendidos. Há crianças que que ficam tristes, namorados que esquecem a data, casais que passam o dia separados, idosos que ficam apenas com suas recordações e não se pode esquecer dos solitários. No entanto, a maioria parece não ter muito do que se queixar. 
    Religiosos ou não, a data é de comemoração e alegria. As luzes do natal brilham dentro e fora dos corações. É muito bom ver essa capacidade que temos para deixar de lado os problemas do dia a dia  e entrarmos nessa onda de felicidade, ainda que todos saibamos que é uma onda curta. Ela não costuma ir além do próprio dia vinte e cinco.
    E isso é muito triste. Nossos votos e desejos de um feliz natal têm prazo de validade muito curtos. Precisamos estender esses votos por um tempo maior. Não somente os votos, mas também a nossa disposição para a alegria, para o belo, para a esperança de dias melhores, o congraçamento entre todos. Nossa capacidade de perdoar, amar, sonhar.
    Não podemos usar o período de natal como se estivéssemos em guerra e um "cessar fogo" foi acordado para que pudéssemos comemorar o nascimento do Filho de Deus. O ideal seria que o natal não fosse apenas um dia, mas uma festa constante em nossos corações. É isso que desejos a todos.

Feliz natal!