Pesquisar este blog

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Aprendizado pelo amor ou pela dor, a esolha é nossa.

Resultado de imagem para imagens de escolhasPode soar estranho, mas  a verdade é que nos são dadas apenas duas opções para o nosso aprendizado neste mundo. Podemos escolher aprender pelo amor, o que torna tudo muito mais fácil, pois nesse caso não oferecemos resistência aos, na maioria das vezes, duros ensinamentos da vida.  Ou podemos nos rebelar  negando a aceitar enfrentar os desafios apresentados e, nesse caso, ai de nós, o que já era difícil fica pior ainda.
Parece uma escolha simples. Qualquer um de nós, em sã consciência, escolheria, com toda certeza, a opção da não resistência, não é mesmo? Infelizmente, a resposta é não. A maioria, para não dizer todos, nega o caminho do amor e se envereda pelo caminho da dor.
Para entender isso, basta que examinemos a nossa própria vida. Como as coisas seriam mais fáceis se nós não fôssemos tão cabeças duras, tão voluntariosos, tão infantis diante das adversidades. Agimos como se tivéssemos vindo ao mundo a passeio e que a única lei que deve imperar é a  do menor esforço.
Se a vida vai indo "bem obrigado", não chiamos. Pode estar ruim para todo mundo em volta, o mundo pode estar desabando ao seu lado que nada nos abala. Agora, se a coisa começa a não dar muito certo para o nosso lado, aí o papo é outro. Começamos a reclamar de tudo, o mundo não presta, nada vale á pena e vai por aí. Em pouco tempo estamos em guerra contra tudo e contra todos. O mundo vira um inferno. Esse é o caminho da dor. 
Caminho duro de seguir, mas necessário. E como ele se apresenta? Através das doenças físicas e mentais, das dificuldades financeiras, do desemprego, da fome, das renúncias que temos que fazer no nosso dia a dia, das perdas, da infelicidade no relacionamento social ou amoroso, na solidão e tudo o que nos aflige durante a vida.
Definitivamente, não viemos ao mundo a passeio. Nossa passagem por aqui é de aprendizado. O mundo é uma escola. E em uma escola, alguns aprendem mais rápido e outros levam mais tempo para assimilar os ensinamentos, por isso os diferentes estágios que encontramos. O importante é não desistir nunca. A cada dia devemos renovar a nossa fé de que o aprendizado acaba vindo e que quanto menos resistência oferecermos, melhor e mais depressa ele chega.