Pesquisar este blog

domingo, 6 de setembro de 2015

Em nossas mãos.

Resultado de imagem para imagem de mãosA exemplo daquela história de que somos aquilo que comemos, também é dito que somos o que pensamos e, sobretudo, aquilo que falamos. Nossas afirmações, principalmente aquelas que fazemos ao nosso próprio respeito, influenciam diretamente nossas vidas a um ponto em que não fazemos ideia.
Se dizemos com alguma regularidade coisas boas ao nosso respeito, atraímos essas "coisas boas" para o nosso lado. Mas se fazemos exatamente o contrário dizendo que não temos sorte, que  tudo sempre dá errado e que não vamos conseguir aquilo que estamos almejando, é esse o resultado que, sem dúvida, vamos obter.
Ou seja, está tudo em nossas mãos. Nós é que decidimos se queremos viver uma vida de grandes realizações ou repleta de fracassos. Depende da maneira que nos posicionamos diante dos acontecimentos sejam eles adversos ou simplesmente corriqueiros. Encarar a vida de forma positiva e altruísta, sempre tentando ver o lado bom das coisas, é a chave para termos sucesso em nossos empreendimentos.
O problema de tudo é que somos educados para ser pessoas pessimistas, a acreditar que somos seres limitados e sempre sujeitos às influências externas, a sermos seres eternamente dependentes.  Nos dizem que somos filhos de Deus, mas não no sentido pleno.
Esquecem de nos dizer que essa filiação nos dá direito a usufruir de toda a ilimitada riqueza do universo e que esse universo é o nosso grande aliado. Ele está sempre pronto a atender a todos os nossos justos desejos.
É claro que manter uma postura sempre positiva não é fácil. Somos convencidos o tempo todo que o negativismo e o derrotismo têm mais força. Mas não custa fazer um esforço e passar, a partir de hoje, a partir de agora, a ter uma visão positiva da vida, a botar o universal para trabalhar a nosso favor.Você vai ver que essa simples mudança de atitude vai fazer uma grande diferença.

Basta dizer: Eu sou filho de Deus! Eu posso!

Bom domingo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário