Pesquisar este blog

domingo, 28 de junho de 2015

Execração.

Conta a história, provavelmente fantasiosa, que o inventor do avião, Santos Dumont, teria cometido suicídio após perceber que sua invenção seria usada para fins bélicos. As imagens de aviões despejando bombas sobre cidades inteiras durante a segunda guerra mundial reforçam essa tese.
Verdade ou pura invenção, o fato é que estamos novamente diante de uns desses fenômenos em que um invento nascido para facilitar a vida das pessoas segue um rumo não muito agradável. Trata-se da internet, essa maravilha que transformou o mundo numa pequena aldeia, onde todos sabem de tudo tão logo as coisas acontecem.
Sem dúvida, isso é muito bom. A internet deu voz e visibilidade para todos. Nela não vale a força do dinheiro, o poder dos que pensam que mandam. Em segundos notícias se espalham com rastilho de pólvora, ideias são disseminadas. É aí que mora o perigo. Nem todo mundo é bem intencionado.
Como o avião de Santos Dumont, a internet tem sido usada para meios que talvez não tenha sido pensada. Entre os muitos usos "pouco salutares" está um que vem crescendo a cada minuto: sob a capa de que somos livres e podemos dizer o que bem pensamos, pessoas ou grupos vêm praticando verdadeiras execrações.
Basta que não gostem de uma simples fotografia para que digam (escrevam) as maiores barbaridades sem nenhum pingo de compaixão pela pessoa que vai ler o comentário. Estão usando a internet como verdadeiro escoamento de esgoto. Pessoas, protegidas (?) pelo anonimato, descarregam todo o ódio que têm dentro de seus corações por puro desejo de destruir o outro.
Vá lá que as pessoas perderam um pouco o senso de ridículo e postam tudo acreditando que aquela velha pergunta (o que vão falar de mim?) é coisa do passado ou de quem preocupa-se com a opinião alheia. Essas pessoas enganam-se e quando começam a ler os comentários feitos em suas postagens querem até "morrer".
Isso mesmo. Tem gente até "se matando" por causa disso. Não podemos confundir sinceridade com grosseria e desrespeito. Nem a internet, acredito, é território de guerra onde as pessoas tentam "matar" umas as outras através de palavras cortantes e demolidoras. 
Talvez a saída seja criar leis que punam esse tipo de crime e acabar de vez com esse falso anonimato do qual a maioria se vale. Do contrário, daqui a pouco não se poderá mais usar essa invenção que tantas benefícios trouxe ao mundo.

Bom domingo a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário