Pesquisar este blog

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Finados, dia de agradecer.

Resultado de imagem para imagem de gratidãoHoje é o dia em que se presta homenagem aos que já partiram da terra. Uns chamam esse acontecimento, ao qual todos nós estamos sujeitos, de morte, outros acreditam que simplesmente é a volta ao nosso estado original, ou seja, o estado de espírito. 
Nesse entendimento, a morte não é vista como a condenação que geralmente estamos acostumados a vê-la e sim como uma libertação. Nosso estado normal é o espiritual. Assim fomos criados. Nossa passagem pela terra é apenas para cumprir um estágio de evolução necessário e obrigatório para que galguemos mundos mais elevados e nos aproximemos cada vez mais do Criador.
Por isso, não há por que temer a morte nem mesmo tratar o assunto como algo macabro e que deve ser evitado. Devemos encará-la com naturalidade e, de certa forma, nos preparar não somente para sua chegada, mas também para quando ela chega para aqueles a quem amamos. 
Ela não pode ser vista como justa ou injusta, ela apenas é a decorrência da vida. Se nascemos nesse mundo temos que encará-la uma hora ou outra. E disso, mesmo negando, todos temos conhecimento desde que nascemos.
E como não podia deixar de ser, instituiu-se um dia para que possamos recordar aqueles que já se foram. Muitos vão aos cemitérios levar flores, acender velas, fazer orações, outros simplesmente não fazem questão de lembrar os mortos. Acreditam que a morte é o fim de tudo e que não existe nada depois dela. Pena. Assim se relega ao esquecimento aqueles que um dia foram tão importantes para nós e, com certeza, não merecem esse desprezo.
É claro que ninguém precisa ir a cemitérios para poder prestar homenagem a seus entes queridos falecidos, nem mesmo acender velas, levar flores ou até mesmo fazer orações pedindo pela salvação de suas almas. 
Nosso destino espiritual depende mais de cada um de nós do que propriamente das missas rezadas, das velas acesas ou das orações feitas em nossa intenção. Embora elas tenham grande valor, o que vale mesmo para o espírito é o sentimento de gratidão que seus entes queridos lhe endereçam através do pensamento.
Se queremos bem a alguém que faleceu, devemos enviar-lhe pensamentos de amor, carinho e respeito.. Isso vale mais que orações e lágrimas. Devemos, acima de tudo, entender que essa pessoa continua existindo num outro lugar na forma de espírito. Pensando dessa maneira pode-se evitar muito sofrimento, tanto do nosso lado quanto do lado de quem partiu. 
Passada a dor do choque da perda e da saudade, o que devemos cultivar são as boas lembranças, os momentos felizes da convivência. E, se porventura, essa pessoa foi um inimigo ou desafeto, não precisamos continuar cultivando rancor e raiva. Até mesmo depois da morte, podemos nos reconciliar através de pensamentos de perdão, tanto pedindo perdão a quem ofendemos, como perdoando aqueles que nos ofenderam. 
Esse dia é, acima de tudo, um dia de dizer o quanto amamos aqueles que passaram pela nossa vida seja da forma que for. Principalmente, os nossos antepassados, aos quais devemos a nossa vida. A eles devemos agradecer, agradecer e agradecer.

A todos com os quais convivi neste mundo e que já voltaram para casa, meu muito obrigado.
.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário