Pesquisar este blog

domingo, 11 de outubro de 2015

Folha em branco.

Segundo ensina a doutrina espírita, encarnamos incontáveis vezes até que conquistamos a nossa iluminação. E isso não acontece "do dia para a noite", leva muitos anos. Milhares de anos. Depende de cada um.
De encarnação em encarnação, vamos nos depurando, perdendo nossa condição de seres primários trilhando um caminho que pode ser ou não de dor e sofrimento. Tudo depende de como encaramos essa caminhada na direção da luz do entendimento.
Se nos rebelamos contra esse "destino" enrijecendo nossa alma, encaramos a cada retorno à terra mais e mais dificuldades no melhor estilo "colhemos o que plantamos". Nosso passado de erros estará sempre influenciando o nosso presente. Isso, com certeza, esclarece muita coisa que acontece em nossas vida para as quais não encontramos explicação. 
Aí  surge a pergunta: como posso estar pagando por erros que não sei se cometi ou não? O primeiro ponto é que não podemos pensar num criador que seja injusto e capaz de nos impor penas indevidas. O outro ponto é que Deus, em sua infinita misericórdia, nos concede o dom do esquecimento. Quando voltamos a esse mundo não recordamos praticamente nada de nossa vida passada. Somos o que se pode chamar de "uma folha em branco".
Assim, temos a chance de começar uma vida completamente nova, do zero. O que vai prevalecer, é claro, são as nossas tendências. Essa nova vida não deixa de ser uma continuação das outras, mesmo que o cenário, as vestimentas e o momento histórico sejam totalmente diferentes.
Nessa "folha em branco" podemos escrever uma nova história com início, meio e fim mais distantes da dor, do sofrimento, do ódio e rancor vividos no pretérito. Muitos agarram essa nova oportunidade com "unhas e dentes" lutando para vencer as barreiras que encontram no caminho. Outros, porém, preferem manter o mesmo padrão de vidas anteriores. 
Como já foi dito, tudo depende de cada um. Esse é um outro dom que a divina providência nos concede: o livre arbítrio. 

Bom domingo..

Nenhum comentário:

Postar um comentário