Pesquisar este blog

sábado, 25 de agosto de 2012

"Phantasmagoria".

     E´evidente o desespero com que os programadores de televisão, sobretudo nos programas de variedades, enfrentam para apresentar novidades que atraiam os telespectadores nesses tempos de internet e mil parafernálias mais. Haja criatividade, não é? A concorrência é grande e os pontinhos na audiência são disputados segundo a segundo.
     Por  isso é comum a gente ver coisas muitos interessantes, mas também  muita coisa sem muito valor ou necessidade sendo apresentada ao distinto público. E´o caso do "Phantasmagoria" que vem sendo apresentado no programa dominical da Globo, "Fantástico". Aliás, já faz tempo que o programa apresenta muito pouca coisa de "fantástico". Na verdade, não tem passado de uma revisão da semana com ares de telejornal comum.
     Mas isso é um outro assunto. O que quero falar é da falta de proposito do quadro. Pelo que dá para entender ele tem a intenção de desmascarar os fantasmas que a crença popular acredita habitar determinadas casas assustando as pessoas. Para isso, os responsáveis pelo quadro vão até esses lugares e entrevistam as pessoas que tiveram contato com esses fantasmas e ouvem os seus relatos. Neles os entrevistados contam suas experiências e ...
     Bem, seria muito bom se o quadro parasse por ai, pois é sempre muito interessante ouvir relatos desse tipo, não é? Aguça a nossa imaginação, ao mesmo tempo que a gente fica torcendo para não ser visitado por esses nossos amiguinhos do além. Só que eles, não se sabe com por que razão, resolveram tirar a prova dos nove com os fantasminhas: Será que eles existem ou as pessoas que dizem vê-los são vítimas de alucinação? E´como se fosse aquele quadro do mesmo programa em que eles testam marcas de produtos.
     Aqui os testados são os fantasmas. E pouco importam as historias contadas pelos entrevistados, de nada adianta a experiência vivida. Tem um cara lá prontinho para dizer que tudo não passa de golpe de vista, imaginação. Ou seja, depois desse quadro, os fantasmas estarão todos desempregados, desmascarados e condenados ao esquecimento. Nunca mais ninguém vai se deixar enganar por qualquer fantasma que seja. E´o fim para eles.
     Pura pretensão e falta dela, a imaginação. E´por falta dela que fazem quadros tão sem sentido. E´ lógico que essa história de ver fantasmas é cercada de muita fantasia, imaginação e até alucinação. Ninguém duvida disso. O medo, a tensão, os agentes externos como barulhos, sombras contribuem para que se crie a ilusão de algo mais. Também acredito nisso. Daí querer provar que todos os casos são mentirosos é outra coisa.
      As duas coisas são inteiramente perigosas: tanto acreditar que eles existem sem procurar ver as coisas por um lado racional, como taxar todos de embusteiros. Ninguém tem autoridade para afirmar isso ou aquilo. Tem coisas que fazem parte do mistério da vida, da nossa crença nas coisas, da nossa fé.
     Nunca acreditei em espíritos que vêm à terra apenas para assustar os outros. Se eles vêm, se tentam algum contato é por um objetivo muito maior que o de simplesmente assustar. Se isso acontece é muito mais pela nossa ignorância do que pela vontade deles. Pelo lado espiritual da coisa é preciso lembrar que situações como essas são de espíritos que não encontram o seu caminho depois da morte do corpo e precisam se libertar para seguir o seu destino.
     Outro ponto é a questão da câmera de filmagem. Na verdade, um realty show disfarçado. Será que espírito ou fantasma, como queiram, se interessam por aparecer num programa de televisão? Acho que nossos amigos do "Fantástico" pensam que sim. Acreditaram que era só ligar a câmera que todos eles viriam correndo, loucos para dar as caras na televisão no programa de maior audiência dos domingos. Tenha paciência, não? Até os fantasmas devem ter algo mais interessante para fazer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário